domingo, 8 de março de 2009

Choro


"O choro pode ser flexível, mas nada se compara aos sentimentos inalados por aquele que o vê, por aquele que o sente. São tantas intenções, são tantas previsões, mas os nossos olhos não conseguem enxergar o que está por vir.
Olhos que não planejam, olhos que apenas vivem. Diferenças respeitadas, semelhanças desentendidas. A perda do controle. A vitória da crença."

(a.h.k.)

Um comentário: