segunda-feira, 3 de agosto de 2009

by André Katayama

Amor.
Um sistema incondicional, insistente, realismo utópico, crença vital. Prega a contestação do real para viver algo divino, reconhece o egocentrismo e age de maneira a entender o indiscreto. Relata a carência do viver só, estuda o incompreensivel e se reserva ao que lhe é esperado.

Algo abstrato, um tanto estranho. Sentimento que distrai, retarda o racional, assume a liderança e profere a esperança como forma de vida. Aprisiona o ser ao que está próximo, aposenta o jugo da indiferença e refrigera a alma. Amor, sentimento e decisão conjuntos, constância necessária, formador e administrador de uma familia a qual Deus simplesmente nos propõe.

Um comentário:

  1. olhaa! que legal! hAHaHa. li os dois textos e tb fiquei com vontade de escrever sobre o amor. o que é o amor senão vida? muito bom manooo! ;)

    ResponderExcluir