terça-feira, 4 de agosto de 2009

by Raphael Akamine

"Inspiro. O amor aperta o coração, causa-me doces suspiros. É bom sentir ter, ser e pertencer a um sentimento como o de duas pessoas apaixonadas. O coração deixa de ser orgão e torna-se substantivo abstrato, amor. Não especifico o amor, generalizo-o. Entre cartas, palavras e abraços o amor é aquela sensação de segurança e aconchego, reciprocidade. A presença daquela pessoa encurta o tempo, aproxima as estrelas, rompe o marasmo, torna-se resposta. Porque mais do que sentimento o amor é vida. Respiro."

Nenhum comentário:

Postar um comentário